Floating FB popout byInfofru

For more plugins visitReviewresults

SigeCom

Sistema de Gestão para Assessoria de Imprensa e Comunicação

Assessores de imprensa precisam saber técnicas de SEO?

Hoje em dia, o trabalho do assessor de imprensa vai muito além do envio de releases e sugestão de pautas para veículos e jornais. Com o mundo cada vez mais conectado, muitas empresas apostam no inbound marketing como uma forte ferramenta de divulgação e atração de clientes e, muitas vezes, esse trabalho fica a cargo da assessoria.

Mais do que um texto bem escrito, a publicação em sites e blogs que utilizam do inbound para se destacar no mercado, necessita do entendimento das chamadas técnicas de SEO, que são as estratégias utilizadas nos sites para melhorar o seu posicionamento na busca orgânica do Google ou em outros sites de busca (para esse post em específico, falaremos sobre o ranqueamento do Google).

Antes de tudo, é entender como esse ranqueamento é feito. O Google utiliza dois algoritmos para organizar a ordem dos sites na busca orgânica: o Panda e o Rankbrain. O Panda foi criado em 2011 e é o algoritmo responsável pela parte mais técnica do ranqueamento, ou seja, é ele quem define a ordem que cada site será apresentado. O Rankbrain foi criado em 2015 e é um sistema de machine learning que tenta entender exatamente o que o usuário está buscando, fazendo comparações com o comportamento dos usuários em buscas anteriores e tentando prever como os próximos usuários irão se comportar nas próximas buscas. Ambos os algoritmos são bastante complexos de se entender e estão em constante atualização, o Panda, por exemplo, é modificado ao menos 600 vezes por ano – o que significa que todos os dias ele passa por alguma alteração.

Não existe uma fórmula exata para a aplicação das técnicas de SEO, porque, como dito anteriormente, os algoritmos do Google estão sempre em constante mudança. Porém, alguns pontos são bastante importantes e podem ajudar a melhorar a colocação dos sites na busca orgânica. Além do rankbrain, ter um conteúdo de qualidade e fazer com que ele seja citado por outros sites, auxilia na hora de melhorar no ranqueamento.

Há pouco tempo, era comum encontrar textos com uma infinidade de palavras-chave repetidas, porque era isso que “contava pontos” e melhorava a posição do site nas buscas orgânicas, mas com o desenvolvimento do rankbrain, o Google passou a desconsiderar um pouco essa técnica, uma vez que os textos ficavam demasiadamente robotizados e a ideia era gerar um conteúdo mais “humano” e com foco em responder perguntas. Então, a primeira dica para ter um bom posicionamento no Google é: crie um conteúdo de qualidade, com foco em responder perguntas e que soe como uma boa explicação feita por uma pessoa e não por um robô.

E o tamanho do texto importa? Isso pode variar bastante. A maioria dos textos mais bem ranqueados tem uma média de 750 palavras, mas um texto menor, porém mais denso e com uma explicação mais direta, pode estar mais bem posicionado do que um mais extenso, mas com pouca qualidade.

Um ponto importante a ser ressaltado aqui é a proposta do texto. Boa parte dos usuários do Google, utilizam o site a fim de resolver problemas, realizando buscas com dúvidas ou perguntas. É interessante pensar em um post que seja voltado a resolver essa questão do usuário, sendo o mais direto possível. Uma dica é fazer com que os dois primeiros parágrafos sejam bastante específicos, facilitando a vida do usuário. Caso seja do interesse dele em se aprofundar no assunto e o texto seja interessante o bastante, certamente você conseguirá prender a atenção do leitor.

E como em tempos de fake news todo o cuidado é pouco, é bom sempre ficar atento ao conteúdo que está sendo divulgado. Utilizar de informações inverídicas ou duvidosas não ajudará o seu site a subir posições na busca do Google. Sustentar o que você afirma com fontes confiáveis e um bom embasamento é fundamental para ajudar o site a melhorar nas buscas.

Vale lembrar também que a utilização do SEO é uma ferramenta a longo prazo. É preciso deixar isso bastante claro para o cliente, uma vez que os resultados do inbound marketing não são tão imediatistas quanto uma divulgação de uma propaganda em horário nobre na televisão, por exemplo. Porém, essa é uma área que está em crescente expansão e ter atenção a ela poderá ajudar a colher bons frutos para o futuro.